Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialectologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspectivas teóricas e cobrindo diversas áreas da gramática. Tem como objectivo geral ampliar o conhecimento sobre a língua portuguesa (e as propriedades universais das línguas naturais), mas descentrando a investigação da(s) variedade(s) padrão e adoptando sempre uma perspectiva comparativa na análise linguística. O grupo produz e disponibiliza recursos concebidos para suportar a descrição e compreensão de variedades, dialectais e históricas, que não coincidem com a competência linguística do investigador (nomeadamente, edições de textos, corpora anotados, léxicos e atlas linguísticos).

 Três equipas de investigação integram o grupo Dialectologia e Diacronia (funcionando em articulação estreita, tanto na partilha de recursos como no cruzamento de competências):
 
ATLAS – Investigação no âmbito da geografia linguística, particularmente direccionada para o estudo do léxico, da fonologia e da morfologia. A equipa, que constituiu e gere um extenso arquivo sonoro, especializou-se na produção de atlas linguísticos e bases de dados lexicais.
 
CARDS/FLY – Investigação no âmbito da variação histórica, com interesse particular na análise do discurso e na pragmática histórica. A produção especializada de edições electrónicas de textos de escrita quotidiana é um objectivo central da equipa.
 
CORDIAL – Investigação no âmbito da sintaxe comparada, com interesse particular na sintaxe dialectal e na sintaxe diacrónica. A contribuição do conhecimento da variação linguística para a compreensão das propriedades universais das línguas naturais e a anotação sintáctica de corpora são preocupações da equipa.

Artigo em Revista
Nunes, N. (2019). O Léxico da Cultura Açucareira na Construção do Mundo Atlântico: Madeira, Canárias, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, Brasil, Venezuela e Colômbia. Veredas: Revista Da Associação Internacional De Lusitanistas, n. 29, 25. Retrieved from https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/535/429 (Original work published 2019)
Nunes, N. (2017). A Translocalidade da Cultura Açucareira: O Funchal, Cidade do Açúcar, entre o Mediterrâneo e o Atlântico. Translocal. Culturas Contemporâneas Locais E Urbanas, nº 1. Retrieved from http://translocal.cm-funchal.pt/wp-content/uploads/2018/01/Translocalidade-Cultura-Acucareira.pdf (Original work published 2017)
Nunes, N., & Camacho, I. (2017). Língua Portuguesa, Literatura e Cultura Madeirenses. Testemunho da Experiência do Curso Intensivo de Verão para Lusodescendentes na Universidade da Madeira. Translocal. Culturas Contemporâneas Locais E Urbanas, nº 1. Retrieved from http://translocal.cm-funchal.pt/wp-content/uploads/2018/01/CursoLusodescendentes.pdf (Original work published 2017)
Nunes, N. (2017). Regionalismos Madeirenses: Estudo Lexicológico da Variação Dialetal e Sociolinguística na Ilha da Madeira. Revue De Linguistique Romane, Tome 81, nº 323-324, 42. (Original work published 2017)
Nunes, N. (2016). Um conto popular e dois romances tradicionais nas memórias de uma contadora de estórias da Ponta Delgada, ilha da Madeira (Portugal). Pensardiverso. Memórias. Revista De Estudos Lusófonos Da Universidade Da Madeira, nº 5, 45. Retrieved from https://digituma.uma.pt/bitstream/10400.13/1735/1/Um%20conto%20popular%20e%20dois%20romances%20tradicionais%20NaideaNunes%20.pdf (Original work published 2016)
Nunes, N. (2008). Mudança e variação na terminologia açucareira atual do Brasil. Linguística. Revista De Estudos Linguísticos Da Universidade Do Porto, 3, nº 1, 18. Retrieved from http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/6881.pdf (Original work published 2008)
Nunes, N. (1997). Alguns aspetos da antroponímia primitiva da Madeira (séculos XV e XVI). Os nomes geográficos e a origem geográfico-dialetal do povoamento do Arquipélago da Madeira. Islenha, nº 20 , 9. (Original work published 1997)
Marquilhas, R. (2015). Non-anachronism in the historical sociolinguistic study of Portuguese. Journal Of Historical Sociolinguistics, 1/2. http://doi.org/10.1515/jhsl-2015-0013
Marquilhas, R. (2015). The Portuguese language spelling accord. Written Language & Literacy, 18/2. http://doi.org/10.1075/wll.18.2
Saramago, J., & Segura, L. (2016). “Açores e Ilha de Santa Catarina: 8000 quilômetros e 260 anos depois. Cascavel-Pr: Edunioeste; Londrina: Eduel,, Estudos geossociolinguísticos brasileiros e europeus: uma homenagem a Michel Contini, 11.
Brissos, F., & Rodrigues, C. (2016). Vocalismo acentuado do Noroeste português - descrição acústica, variação dialectal e representação fonológica. Revue Romane, 51, n. 1, 1-35. http://doi.org/10-1075/rro.51.1.01bri
Manuscrito
Vaamonde, G., & Magro, C. (2016). Manual de Edición en PS. Retrieved from http://ps.clul.ul.pt/files/Manual\_Mod\_Pos\_Sin.pdf
Vaamonde, G., & Magro, C. (2016). Manual de edición y anotación en TEITOK de los materiales de PS. POST SCRIPTUM: edición modernizada; anotación morfosintáctica; anotación sintáctica. Retrieved from http://ps.clul.ul.pt/files/Manual\_Mod\_Pos\_Sin.pdf
Artigo de Jornal
Bacelar do Nascimento, M. F., Casteleiro, J. M., Marques, L. G., Segura, L., & Santos, M. (182AD). Notícia sobre os resultados do Português Fundamental. Boletim Da Sociedade De Língua Portuguesa, pp. 11-15. Lisboa.
Relatório
Martins, F., Rodrigues, C., Brissos, F., & Simões, D. (2013). Relatório do Núcleo de Investigação em Fonética Forense (NIFF) - 2013 (p. 5 p.).