Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialectologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspectivas teóricas e cobrindo diversas áreas da gramática. Tem como objectivo geral ampliar o conhecimento sobre a língua portuguesa (e as propriedades universais das línguas naturais), mas descentrando a investigação da(s) variedade(s) padrão e adoptando sempre uma perspectiva comparativa na análise linguística. O grupo produz e disponibiliza recursos concebidos para suportar a descrição e compreensão de variedades, dialectais e históricas, que não coincidem com a competência linguística do investigador (nomeadamente, edições de textos, corpora anotados, léxicos e atlas linguísticos).

 Três equipas de investigação integram o grupo Dialectologia e Diacronia (funcionando em articulação estreita, tanto na partilha de recursos como no cruzamento de competências):
 
ATLAS – Investigação no âmbito da geografia linguística, particularmente direccionada para o estudo do léxico, da fonologia e da morfologia. A equipa, que constituiu e gere um extenso arquivo sonoro, especializou-se na produção de atlas linguísticos e bases de dados lexicais.
 
CARDS/FLY – Investigação no âmbito da variação histórica, com interesse particular na análise do discurso e na pragmática histórica. A produção especializada de edições electrónicas de textos de escrita quotidiana é um objectivo central da equipa.
 
CORDIAL – Investigação no âmbito da sintaxe comparada, com interesse particular na sintaxe dialectal e na sintaxe diacrónica. A contribuição do conhecimento da variação linguística para a compreensão das propriedades universais das línguas naturais e a anotação sintáctica de corpora são preocupações da equipa.

Livro
Vitorino, G. (1988). Atlas Linguístico do Litoral Português (ALLP) - Fauna e Flora. II - Mapas e notas. Lisboa: Instituto Nacional de Investigação Científica / Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
Nunes, N. (2010). Outras Palavras Doces. Glossário comparativo da actual terminologia açucareira no Atlântico.
Castro, I., Marquilhas, R., & Acosta, L. (1991). Curso de História da Língua Portuguesa. Lisboa: Universidade Aberta.
Castro, I., Marquilhas, R., & Albino, C. (2001). O Tempo da Língua. Lisboa: Instituto Camões.
Brandão, S. F., & Mota, M. A. (2003). Análise Contrastiva de Variedades do Português: Primeiros Estudos. Rio de Janeiro: In-Fólio.
Mota, M. A., & Marrafa, P. (1999). Thematic Volume - Workshop sobre Linguística Computacional. Lisboa: APL.
Mota, M. A., Pereira, D., & Andrade, E. d. (2000). Thematic. APL.
Saramago, J. (2001). Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores (Vol. I). Centro de Linguística da Universidade de Lisboa / Direcção Regional da Cultura-Açores.
Saramago, J. (1993). Relação breve da grande e maravilhosa vitória dos moradores da ilha do Corvo contra dez poderosas naus de Turcos. Corvo: Câmara Municipal do Corvo.
Saramago, J. (1987). Novo Romanceiro Português das Ilhas Atlânticas I. Madrid: Seminario Menéndez Pidal, Universidad Complutense de Madrid.
(2019). Lives in Contact: A Tribute to Nine Fellow Creolinguists. (T. Hagemeijer, Truppi, C., Pratas, F., Cardoso, H. C., & Alexandre, N., Eds.). Lisboa: Colibri.
Bacelar do Nascimento, M. F., Ferreira, M. B., Augusto, C., Segura, L., & Santos, M. (1981). Iniciação ao Português. Lisboa: CLUL.
Carrilho, E., Martins, A. M., Pereira, S., & Silvestre, J. P. (2019). Estudos Linguísticos e Filológicos Oferecidos a Ivo Castro . Lisboa: Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
Capítulo de Livro
Peres, X. A. A., & Segura, L. Les désignations romanes de la perdrix. In (Vol. 2c. Cartes / Commentaires). Roma: Instituto Poligrafico & Zecca dello Stato / Libreria dello Stato.
Cardoso, A. (2018). Discontinuous noun phrases and remnant-internal relativization in the diachrony of Portuguese. In Word Order Change (Martins, A. M. and Cardoso, A.). Oxford/New York: Oxford University Press.
Cardoso, A., Sebastião, I., & Teixeira, C. (2018). Escrita colaborativa no ensino superior: análise exploratória da interação entre pares no quadro do Interacionismo Sociodiscursivo. In Brocardo, T. Lisbon: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.
Cardoso, A., Sebastião, I., & Teixeira, C. (2018). O resumo de artigo científico: exemplo de um percurso didático em escrita académica. In Osório, P. Leurquin, E. & Coelho, M. C. (orgs.). Lugar da gramática na aula de Português. Rio de Janeiro: Dialogarts.
Costa, A. L., Rodrigues, S. V., & Sebastião, I. (2018). Para que serve a didática? In Correia. In (L. G. and Leão, R. and Poças, S.). Oporto: CIIE - Centro de Investigação e Intervenção Educativas / Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.
Martins, A. M., & Cardoso, A. (2018). Word order change from a diachronic generative syntax perspective. In A. M. Martins & Cardoso, A. (Eds.), Word Order Change. Oxford/New York: Oxford University Press.
Martins, A. M. (2018). Infinitival complements of causative/perception verbs in a diachronic perspective. In Complement Clauses in Portuguese: Syntax and Acquisition (Gonçalves, A. and Santos, A. L.). Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing.
Pereira, S. (2018). Os verbos lembrar e esquecer: os dados dialetais nas entradas lexicais. In da Universidade do Estado da Bahia (Santos, E. S. and Almeida, A. A. D. and Neto, N. A. S. (orgs.). Olhares sobre o Léxico. Perspectivas de Estudo. Salvador: EDUNEB –). .
Pratas, F. (2018). Elements of denial in Capeverdean: the negator ka and the properties of n-words. In Negation and Negative Concord: The view from Creoles (V. Deprez and F. Henri). (Series Contact Language Library, edited by Deprez, V. & Henri, F.). Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing. http://doi.org/https://doi.org/10.1075/coll.55.09pra
Saramago, J. (2018). O galego e o português no tempo e no espaço. In Obreiro da língua, amigo da xente (X. Álvarez Perez and M. Brea). Estudos de xeografía linguística en homenaxe a Manuel González. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.
Saramago, J. (2018). «Dialectal», «provinciano», «regional». In («arcaico» y «desusado» en dicionários del português europeo. In M. Alvarez de la Granja and E. González Seoane). Madrid/Frankfurt am Main: Iberoameriana Vervuert.
Marquilhas, R. (2013). Fenómenos de mudança na história do português. In Gramática Do Português (Amália Mendes, Luísa Segura, Maria Mota, Maria Bacelar do Nascimento, E. Raposo (eds.), Vol. 1, pp. 17–45). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Marquilhas, R. (2013). Lacunas naturais: a edição do texto não visível. In Ao Sabor do Texto. Estudos dedicados a Ivo Castro (pp. 369-381). R. Álvarez, A. M. Martins, H. Monteagudo & M. A. Ramos. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.
Marquilhas, R. (2012). Grandes margens: uma abordagem sociopragmática de textos manuscritos e seus grafismos. In Nada na Linguagem lhe é estranho. Homenagem Isabel Hub Faria (pp. 689-701). Armanda Costa & Inês Duarte. Porto: Edições Afrontamento.
Marquilhas, R. (2012). A Historical Digital Archive of Portuguese Letters. In Letter Writing in Late Modern Europe (pp. 31-43). Marina Dossena e Gabriella Del Lungo Camiciotti. Amsterdam: John Benjamins.
Marquilhas, R. (2010). Filologia oitocentista e crítica textual. In Filologia, Memória e Esquecimento. Act (Vol. 20, pp. 355-367). org. Fernanda Mota Alves et al. Lisboa: Húmus.
Marquilhas, R. (2005). Una gran sala con la puerta abierta: cartas imaginarias desde la cárcel de la Inquisición (Portugal. In (pp. 43-75). A. Castillo Gómez & V. S. Blas. Gijón (Asturias): Ediciones TREA.