Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialectologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspectivas teóricas e cobrindo diversas áreas da gramática. Tem como objectivo geral ampliar o conhecimento sobre a língua portuguesa (e as propriedades universais das línguas naturais), mas descentrando a investigação da(s) variedade(s) padrão e adoptando sempre uma perspectiva comparativa na análise linguística. O grupo produz e disponibiliza recursos concebidos para suportar a descrição e compreensão de variedades, dialectais e históricas, que não coincidem com a competência linguística do investigador (nomeadamente, edições de textos, corpora anotados, léxicos e atlas linguísticos).

 Três equipas de investigação integram o grupo Dialectologia e Diacronia (funcionando em articulação estreita, tanto na partilha de recursos como no cruzamento de competências):
 
ATLAS – Investigação no âmbito da geografia linguística, particularmente direccionada para o estudo do léxico, da fonologia e da morfologia. A equipa, que constituiu e gere um extenso arquivo sonoro, especializou-se na produção de atlas linguísticos e bases de dados lexicais.
 
CARDS/FLY – Investigação no âmbito da variação histórica, com interesse particular na análise do discurso e na pragmática histórica. A produção especializada de edições electrónicas de textos de escrita quotidiana é um objectivo central da equipa.
 
CORDIAL – Investigação no âmbito da sintaxe comparada, com interesse particular na sintaxe dialectal e na sintaxe diacrónica. A contribuição do conhecimento da variação linguística para a compreensão das propriedades universais das línguas naturais e a anotação sintáctica de corpora são preocupações da equipa.

Capítulo de Livro
Castro, A., & Pratas, F. (2006). Capeverdean DP-internal number agreement, additional arguments for a Distributed Morphology approach, in Studies on Agreement. In (pp. 11-24). Costa & C. F. Silva. Amsterdam / Philadelphia: John Benjamins.
Leitão, A. (2012). Por obra do Espírito Santo: jesuítas de Évora entre os gentios do Brasil, in Universidade de Évora (1559-2009) : 450 anos de modernidade educativa. In (S. Pereira and F. L. Vaz. Lisboa: Chiado, pp. 241-258). .
Leitão, A., Delgado, C., & Tavares, C. (2009). Transferência da Corte: abordagens nos manuais escolares de Portugal e Brasil. In FGV (A Escrita da História Escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro, pp. 309-328). .
Leitão, A. (2007). Características inovadoras no ensino de português LE no Brasil, in Repensar a Escola Hoje: o contributo dos Jesuítas. In (pp. 289-306). Gonçalves et al. Braga: ALETHEIA- Universidade Católica Portuguesa.
Leitão, A. (2007). Para uma História da Didáctica do Português Língua Não Materna, in Pelas Oito Partidas da Língua Portuguesa - Homenagem ao Professor João Malaca Casteleiro. In (pp. 41-52). Mata & M. J. Grosso. Macau: Universidade de Macau/ Instituto Politécnico de Macau / Departamento de LCP.
Leitão, A., Verguete, C., & Cardoso, L. (2007). A Falar é que a Gente se Entende, in Pelas Oito Partidas da Língua Portuguesa - Homenagem ao Professor João Malaca Casteleiro. In (pp. 53-64). Mata & M. J. Grosso. Macau: Universidade de Macau/ Instituto Politécnico de Macau / Departamento de LCP.
Segura, L. (2013). Geografia da Língua Portuguesa. In Gramática do Português (Vol. I, pp. 71-81). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Segura, L. (2013). Variedades dialetais do Português Europeu. In Gramática do Português (Vol. I, pp. 85-142). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Segura, L. (2008). O Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores- Dados para uma classificação dos dialectos açorianos, in Estudos geolingüísticos e dialetais sobre o português. In (A. N. Isquerdo. Campo Grande, pp. 249-272). da UFMS.
Segura, L. (2003). Variação dialectal em território português. In (pp. 181-196). S. Brandão & M. A. Mota. Rio de Janeiro: In-Fólio.
Amaro, R., & Mendes, S. (2016). Lexicologia e Linguística Computacional. In A. M. Martins & Carrilho, E. (Eds.), Manual de Linguística Portuguesa (pp. 178-199). Berlim: De Gruyter Mouton.
Carvalheiro, C., Costa, A. L., Marquilhas, R., Pinto, C., Pratas, F., & Vaamonde, G. (2016). A Idade dos desvios: diacronia, variação social e linguística de corpus. In Lingüística de corpus y lingüística histórica iberorrománica (J. Kabatek, pp. 175-196). Berlin: DeGruyter.
Costa, A. L., Costa, A., & Gonçalves, A. (2017). Conhecimento implícito, consciência linguística e escrita. In A aquisição de língua materna e não materna. Questões gerais e dados do Português (M. J. Freitas and A. L. Santos). Berlin: Language Science Press. Retrieved from http://langsci-press.org/
Costa, A. L., Costa, A., & Gonçalves, A. (2017). Consciência linguística: aspetos sintáticos. In Aquisição de Língua Materna e Não Materna. Questões Gerais e Dados do Português (M. J. Freitas and A. L. Santos, pp. 409-438). Questões Gerais e Dados do Português. Berlin: Language Science Press.
Costa, J., & Pratas, F. (2015). Null subjects in monolingual and bilingual, typical and atypical development, an exploratory study. In Specific Language Impairment: Current Trends in Research (S. Stavrakaki). Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins.
Gonçalves, A., Carrilho, E., & Pereira, S. (2016). Predicados complexos numa perspetiva comparativa. In , in Manual de Linguística Portuguesa (A. M. Martins & E. Carrilho, pp. 523-557). Berlin/Boston: Mouton De Gruyter.
Kato, M. A., & Martins, A. M. (2016). European Portuguese and Brazilian Portuguese: an overview on word order. In The Handbook of Portuguese Linguistics (Leo Wetzels, Sergio Menuzzi and João Costa, pp. 15-40). Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell.
Leitão, A. (2015). Língua, companheira do império: sentidos da educação ameríndia em língua portuguesa. In Origens da Educação Escolar no Brasil Colonial Vol. IV (T. Cézar, M. A. B. Ribas and others, Vol. IV, pp. 57-90). Maringá.
Leitão, A. (2016). Documentary Evidence in Early Modern Portugal and Overseas: A Window to Literacy Practices. In , in Reading and writing from below: exploring the margins of modernity (pp. 251-268). , Umeå: Umeå University & The Royal Skyttean Society.
Lobo, M., & Martins, A. M. (2017). Subjects. In Manual of Romance Morphosyntax and Syntax (A. Dufter and E. Stark). Berlin & Boston: De Gruyter.
Marquilhas, R., & Hendrickx, I. (2016). Avanços nas Humanidades Digitais. In Manual de Linguística Portuguesa (A. M. Martins & E. Carrilho). Berlin/Boston: De Gruyter.
Marquilhas, R. (2015). Grandes marges: une approche sociopragmatique de textes manuscrits et de leurs graphismes. In Los Lugares del Escrito (Siglos XV-XX) (A. Castillo Gómez, pp. 135-146). Madrid: Casa de Velázquez.
Martins, A. M., & Costa, J. (2016). Ordem dos constituintes frásicos: sujeitos invertidos, objetos antepostos. In (A. M. Martins & E. Carrilho, pp. 371-400). Berlin/Boston: De Gruyter.
Martins, A. M., & Nunes, J. (2016). Passives and Se Constructions. In The Handbook of Portuguese Linguistics (Leo Wetzels, Sergio Menuzzi and João Costa, pp. 318-337). Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell.
Martins, A. M. (2016). A colocação dos pronomes clíticos em sincronia e diacronia. In Manual de Linguística Portuguesa (A. M. Martins & E. Carrilho, p. 401430.). Berlin/Boston: De Gruyter.
Martins, A. M. (2016). Introdução: O português numa perspetiva diacrónica e comparativa. In Manual de Linguística Portuguesa (A. M. Martins & E. Carrilho, pp. 1-39). Berlin/Boston: De Gruyter.
Martins, A. M. (2016). O sistema responsivo: padrões de resposta a interrogativas polares e a asserções. In Manual de Linguística Portuguesa (A. M. Martins & E. Carrilho, pp. 581-609). Berlin/Boston: De Gruyter.
Martins, A. M. (2016). VP and TP Ellipsis: sentential polarity and information structure. In Grammatical Interfaces in Romance (Susann Fischer and Christoph Gabriel, Vol. 457-485.). Berlin/Boston: De Gruyter.
Martins, A. M., Santos, A. L., & Duarte, I. (2017). Syntactic complexity in children with Autism Spectrum Disorder and Specific Language Impairment. In Language Processing and Disorders (L. Escobar and V. Torrens and T. Parodi). Newcastle: Cambridge Scholars Publishing.
Martins, A. M. (2015). Negation and NPI composition inside DP. In Syntax over Time: Lexical, Morphological and Information-Structural Interactions (T. Biberauer & G. Walkden). Oxford/New York: Oxford University Press.