Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialectologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspectivas teóricas e cobrindo diversas áreas da gramática. Tem como objectivo geral ampliar o conhecimento sobre a língua portuguesa (e as propriedades universais das línguas naturais), mas descentrando a investigação da(s) variedade(s) padrão e adoptando sempre uma perspectiva comparativa na análise linguística. O grupo produz e disponibiliza recursos concebidos para suportar a descrição e compreensão de variedades, dialectais e históricas, que não coincidem com a competência linguística do investigador (nomeadamente, edições de textos, corpora anotados, léxicos e atlas linguísticos).

 Três equipas de investigação integram o grupo Dialectologia e Diacronia (funcionando em articulação estreita, tanto na partilha de recursos como no cruzamento de competências):
 
ATLAS – Investigação no âmbito da geografia linguística, particularmente direccionada para o estudo do léxico, da fonologia e da morfologia. A equipa, que constituiu e gere um extenso arquivo sonoro, especializou-se na produção de atlas linguísticos e bases de dados lexicais.
 
CARDS/FLY – Investigação no âmbito da variação histórica, com interesse particular na análise do discurso e na pragmática histórica. A produção especializada de edições electrónicas de textos de escrita quotidiana é um objectivo central da equipa.
 
CORDIAL – Investigação no âmbito da sintaxe comparada, com interesse particular na sintaxe dialectal e na sintaxe diacrónica. A contribuição do conhecimento da variação linguística para a compreensão das propriedades universais das línguas naturais e a anotação sintáctica de corpora são preocupações da equipa.

Artigo em Revista
Marquilhas, R. (2004). Traços distintivos, góticos e electrónicos. Góticos E Electrónicos. In (Dis) Cursos Da Escrita. Estudos De Filoloxía Galega Ofrecidos En Memoria De Fernando R. Tato Plaza, 475-489.
Bazenga, A. (2012). Do português língua nossa ao português língua também nossa, in Ensaios Lusófonos. F. Cristóvão. Lisboa: Clepul/Almedina, Pp. 53-62. Isbn:, 9789724047867.
Bazenga, A., Nunes, N., & Paolinelli, L. (2008). Os Estudos Interculturais na Universidade da Madeira, in Língua Portuguesa - Lusofonia, Memória e Diversidade Cultural. N. Bastos. S. Paulo: Puc-Sp, Pp. 65-76. Isbn:, 852830379.
Bazenga, A., & Araújo, S. (2002). Les constructions en se dans un corpus de verbes marqués par le trait de complexité, in De Lenguas y lenguajes, (Colección de Lingüística, 2). A. Veiga, 84-95622.
Martins, A. M. (2003). Construções com SE: mudança e variação no português europeu, in Razões e Emoção: Miscelânea de estudos em Homenagem a Maria Helena Mira Mateus. I, 2, 19-41.
Martins, A. M., & Albino, C. (1998). Sobre a primitiva produção documental em português: notícia de uma Noticia de auer, in Homenaxe a Ramón Lorenzo. D. Kremer, 1, 105-121.
Martins, A. M. (1985). Vidas de santos de um manuscrito Alcobacense: Vida de Tarsis, Vida de uma Monja, in Vidas de Santos de um Manuscrito Alcobacense (Colecção Mística de Frei Hilário de Lourinhã. Cód. Alc. Cclxvi/Antt 2274), 16-19.
Mota, M. A., Rodrigues, C., & Soalheiro, E. (2003). Padrões flexionais nos pretéritos fortes. Pe Falado Setentrional, In Razão E Emoções , II - Volume de Homenagem a Maria Helena Mira Mateus, 129-155.
Carrilho, E. (2008). Beyond doubling: overt expletives in European Portuguese dialects, in Syntax and Semantics. Vol. 36: Microvariation In Syntactic Doubling, 36:, 301-323.
Bazenga, A. (2007). Aspects de la syntaxe. De La Sémantique Et De La Morphologie Des Verbes À /Complexité/. Linguistics Editon, 61.
Álvarez, R., Martins, A. M., Monteagudo, H., & Ramos, M. A. (2013). Ao Sabor do Texto. Estudos Dedicados A Ivo Castro. Santiago De Compostela: Universidade De Santiago De Compostela, Servizo De Publicacións E Intercambio Científico. Isbn:, 978-84.
Segura, L., & Vitorino, G. (2010). Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores. ., II.
Ferreira, M. B., Saramago, J., Segura, L., Vitorino, G., Carrilho, E., & Lobo, M. (2008). Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores. ., I.
Segura, L. (2012). Linguistic and Ethnographic Atlas of Azores (ALEAç). Author Of The Following Linguistic Maps (Morphophonology), 277, 276. Retrieved from http://www.culturacores.azores.gov.pt/alea/
Nunes, N. (2014). Entre ilhas e culturas: palavras e coisas. Património Cultural Das Ilhas Atlânticas. Blogue Memória Das Histórias Das Gentes Que Fazem A História, Newsletter, 22, 7-8. Retrieved from http://memoriadasgentes.blogspot.pt/2014/11/newsletter-22-mobilidades-e.html
Saramago, J. (2012). Linguistic and Ethnographic Atlas of Azores (ALEAç). Author Of The Following Linguistic Maps (Morphophonology), 649, 648. Retrieved from http://www.culturacores.azores.gov.pt/alea/
Marquilhas, R., & Hendrickx, I. (2014). Manuscripts and machines: the automatic replacement of spelling variants in a Portuguese historical corpus. International Journal Of Humanities And Arts Computing, 8.
Hendrickx, I., & Marquilhas, R. (2011). From old texts to modern spellings: an experiment in automatic normalisation. Journal For Language Technology And Computational Linguistics(Jlcl), 2, 65-76.
Marquilhas, R. (2009). Abordagem histórico-sociológica do debate em torno do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Grial: Revista Galega De Cultura 184.
Marquilhas, R. (2009). Eu ainda sou vivo: sobre a edição e análise linguística de cartas de gente vulgar. Estudos De Lingüística Galega, 1, 47-65.
Marquilhas, R. (2008). Nuevo estilo de editar cartas. Book Review. Cultura Escrita & Sociedad, 6, 250-251.
Marquilhas, R. (2007). On the study of everyday writings. Variants: The Journal Of The European Society For Textual Scholarship, 6, 263-276.
Marquilhas, R., & Albino, C. (2005). Escribir cartas aterradoras en el Palacio Do Limoeiro. Hispania, 65/221, 991-1019. (Original work published 12/2005AD)
Marquilhas, R. (2003). Cartas medievales y mensajes electrónicos. Signo. Revista De Historia De La Cultura Escrita, 11.
Marquilhas, R. (1999). Leitura. Um Silêncio Recente. Leitura: Teoria E Prática. Revista Semestral Da Associação De Leitura Do Brasil, Ano, 18.
Marquilhas, R. (1997). Importância das fontes judiciais no conhecimento do português seiscentista [inclui parte da dissertação de doutoramento]. ., 163-178.
Marquilhas, R., & Mendes, M. (1995). A quarta mão: um manuscrito de Clavis Prophetarum do padre António Vieira. Confluência. Revista Do Instituto De Língua Portuguesa, 9, 13-21.
Marquilhas, R. (1991). O Dicionário PATROM. ., 134-136.
Bazenga, A., & Sousa, A. (2011). Glossary- Linguistic Terms. P.i.n.o.k. I. O – Pupils For Innovation As A Key To Intercultural And Social Inclusion. Dlv, 16.
Bazenga, A. (2009). Crosscultural Humour: Humour that divides; Humour that unites. An Introduction, 2.