Filologia

Invocando a herança filológica de Luís Filipe Lindley Cintra, este Grupo procura localizar, interpretar e editar criticamente textos literários e não literários, inéditos ou insatisfatoriamente editados, que são relevantes para a história e para a descrição da língua portuguesa.

O grupo investiga nos campos da crítica textual, da crítica genética, da história do livro e da bibliografia material. Dedica-se, actualmente, ao desenvolvimento de recursos electrónicos para a consulta e estudo de textos literários e metalinguísticos, com especial atenção especial atenção aos períodos medieval, clássico e barroco. Prossegue, simultaneamente, a edição genética e crítica de obras de autores modernos (Almeida Garrett, Camilo Castelo Branco e Fernando Pessoa), em coleções publicadas pela Imprensa Nacional.

A atividade do Grupo constitui um quadro de referência para os estudos e práticas filológicas em Portugal, investindo principalmente nos planos teórico e metodológico, mas demonstrando igualmente o contributo indispensável da Filologia para a investigação em linguística, bem como para a preservação da memória textual da cultura portuguesa.

A aplicação da investigação concretiza-se ainda em parcerias com outras unidades da FLUL (Programa de Crítica Textual, Departamento de Linguística Geral e Românica, Biblioteca da FLUL), bem como com a editora do Estado (Imprensa Nacional) e com várias bibliotecas (Biblioteca Nacional de Portugal, Biblioteca Pública-Municipal do Porto, Biblioteca Municipal de Sintra)

Capítulo de Livro
Castro, I. (2005). Verbetes "Acordos Ortográficos" e "Língua Portuguesa". In Dicionário Temático da Lusofonia (pp. 24, 607-608). Texto.
Castro, I. (2006). Escrita bordada. In G. Santos & Velho, G. (Eds.), Artifícios e Artefactos. Entre o literário e o antropológico (pp. 51-62, 193-196). Viveiros de Castro Ed.
Castro, I. (2007). A língua. In A. Reis (Ed.), Retrato de Portugal (pp. 101-113). Lisboa: Instituto Camões/Temas e Debates.
Castro, I. (2007). Geografia e storia della lingua portoghese. In Letteratura del Portogallo. Quaderni del Premio Letterario Giuseppe Acerbi (pp. 40-42). Verona: Edizioni Fiorini.
Castro, I. (2008). O português, de Compostela ao Atlântico Sul. In G. Lanciani (Ed.), Da Roma all’Oceano. La lingua portoghese nel mondo (pp. 13-16). Roma: La Nuova Frontiera.
Castro, I. (2008). A importância da rasura no manuscrito de Amor de Perdição. In O Domínio do Instável (A Jacinto do Prado Coelho) (pp. 161-180). Caixotim.
Castro, I. (2009). Galicia no espazo cultural da Lusofonía. In H. Monteagudo (Ed.), Sociedades plurilingües: da identidade á diversidade (pp. 219-252). Santiago de Compostela: Consello da Cultura Galega.
Castro, I. (2010). Notas sobre a língua do Livro de como se fazen as cores (ms. Parma 1959). In The Materials of the Image. As Matérias da Imagem (pp. 87-96). Lisboa: IHA.
Castro, I. (2011). Língua de Camões. In Dicionário de Luís de Camões (pp. 461-469). Caminho.
Castro, I. (2011). Forces d’unió i separació en l’espai de la llengua portuguesa. In La gestió interestatal de les llengues transfrontereres (pp. 55-66). Barcelona: Institut d’Estudis Catalans.
Castro, I. (2012). From print to script. In Private: do (not) enter. Personal Writings and Textual Scholarship (J. Dionísio (ed), pp. 135-143). Amsterdam/New York: Variants 8.
Castro, I. (2011). Forces d’unió i separació en l’espai de la llengua portuguesa. In La gestió interestatal de les llengues transfrontereres (pp. 55-66). Barcelona: Institut d’Estudis Catalans.
Castro, I. (2012). Vésperas brasilianas. In M. Santiago-Almeida & Lima-Hernandes, M. (Eds.), História do Português Paulista, Modelos e Análises (Vol. III, pp. 45-72). Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem/Unicamp.
Castro, I. (2012). Emendas em curso de escrita. In Nada na linguagem lhe é estranho (Homenagem a Isabel Hub Faria) (A. Costa e I. Duarte (eds), pp. 423-432). Porto: Afrontamento.
Castro, I. (2013). Formação da língua portuguesa. In Gramática do Português (pp. 5-14). Lisboa: Gulbenkian.
Castro, I. (2014). Die portugiesische Sprache: Vergangenheit, Gegenwart und Zukunft. In Portugal. 40 Jahre Demokratie (pp. 18-23). Graz: Universidade de Graz.
Castro, I. (2015). A nova ortografia tem 25 anos. In Diacrítica, 29/1 (In Memoriam José de Azevedo Ferreira) (pp. 499-508). .
Castro, I. (2016). Glórias Centenárias. In Genuína Fazendeira. Os frutíferos 100 anos de Cleonice Berardinelli, (pp. 309-316). Rio de Janeiro: Bazar do Tempo.
Castro, I. (2018). Longos apelidos antigos. In Discurso(s) de Cumplicidade(s). Homenagem a Fernanda Menéndez (pp. 23-32). Húmus.
Castro, I. (2017). Os de Vasconcelos. In Gallaecia. Estudos de linguistica portuguesa e galega. (pp. 61-93). Santiago de Compostela: Santiago. http://doi.org/http://dx.doi.org/10.15304/cc.2017.1080.37
Edição de Livro
Pessoa, F. (1986). O Manuscrito de “O Guardador de Rebanhos” de Alberto Caeiro, ed. facsimilada e crítica. (I. Castro, Ed.). Publicações Dom Quixote.
de Macedo, J. T. (1996). Obras Inéditas. Ensaio sobre o estudo historico das linguas. Elementos de Grammatica Portugueza. (I. Castro, Ed.). Associação Portuguesa de Linguística.
de Vasconcellos, J. L. (1999). Dicionário de Regionalismos e Arcaísmos. Letra A (A-Azurareira). (I. Castro, Ed.). Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
Pessoa, F. (2001). Poemas de Fernando Pessoa. 1921-1930, ed. crítica. (I. Castro, Ed.). IN-CM.
de Vasconcelos, L. (2002). Dicionário de Regionalismos e Arcaísmos. Letra B (Baba-Buzio). (I. Castro, Ed.). Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
de Vasconcelos, J. L. (2002). Dicionário de Regionalismos e Arcaísmos. Letra C (Ca-Cuzudo). (I. Castro, Ed.). Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
Castro, I. (Ed.). (2004). Poemas de Fernando Pessoa. 1931-1933, ed. crítica. IN-CM.
Castro, I. (2007). Amor de Perdição, ed. genética e crítica. IN-CM.
Correia, Â., & Franco, P. (2016). Camilo Castelo Branco, A Sereia (critical edition). Imprensa Nacional.
Correia, Â. (2019). Vitorino Nemésio, Sob os Signos de Agora e Conhecimento de Poesia (critical edition). Imprensa Nacional / Companhia das Ilhas.