Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialectologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspectivas teóricas e cobrindo diversas áreas da gramática. Tem como objectivo geral ampliar o conhecimento sobre a língua portuguesa (e as propriedades universais das línguas naturais), mas descentrando a investigação da(s) variedade(s) padrão e adoptando sempre uma perspectiva comparativa na análise linguística. O grupo produz e disponibiliza recursos concebidos para suportar a descrição e compreensão de variedades, dialectais e históricas, que não coincidem com a competência linguística do investigador (nomeadamente, edições de textos, corpora anotados, léxicos e atlas linguísticos).

 Três equipas de investigação integram o grupo Dialectologia e Diacronia (funcionando em articulação estreita, tanto na partilha de recursos como no cruzamento de competências):
 
ATLAS – Investigação no âmbito da geografia linguística, particularmente direccionada para o estudo do léxico, da fonologia e da morfologia. A equipa, que constituiu e gere um extenso arquivo sonoro, especializou-se na produção de atlas linguísticos e bases de dados lexicais.
 
CARDS/FLY – Investigação no âmbito da variação histórica, com interesse particular na análise do discurso e na pragmática histórica. A produção especializada de edições electrónicas de textos de escrita quotidiana é um objectivo central da equipa.
 
CORDIAL – Investigação no âmbito da sintaxe comparada, com interesse particular na sintaxe dialectal e na sintaxe diacrónica. A contribuição do conhecimento da variação linguística para a compreensão das propriedades universais das línguas naturais e a anotação sintáctica de corpora são preocupações da equipa.

Capítulo de Livro
Martins, F., Rodrigues, C., & Brissos, F. (2014). Fronteiras de vozeamento na identificação do falante. In Textos selecionados do XXIX Encontro da APL (pp. 345-359). Porto: APL.
Costa, A. L. (2014). Um Pois Comentador. In Textos selecionados. XXIX Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística (pp. 199-211). J. Veloso et al. Porto: APL.
Costa, A. L. (2007). Complexidade estrutural de conectores concessivos, in Textos Selecionados do XXII Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 287-302). Coutinho & M. Lobo. Lisboa: APL.
Carrilho, E., & Lobo, M. (2012). Contribution à l étude de la variation syntaxique dans le domaine ibéro-roman. In La Leçon des dialectes. Hommages à Jean-Philippe Dalbera (pp. 323-336). M. Oliviéri, G. Brun-Trigaud & P. Del Giudice. Alessandria: Edizioni dell Orso.
Carrilho, E. (2010). Tools for dialect syntax: the case of CORDIAL-SIN (an annotated corpus of Portuguese dialects), in Tools for Linguistic Variation. In (pp. 57-70). Aurrekoetxea & J. L. Ormaetxea. Bilbao: Universidad del Pais Vasco.
Carrilho, E. (2010). Zona III – Distrito de Castelo Branco. In (pp. 266-275). Língua; Zona III – Distrito de Castelo Branco. Cultura, in Bibliografia Língua e História na Fronteira Norte-Sul (updated edition).
Carrilho, E. (2010). Zona III – Distrito de Portalegre. In (pp. 281-298). Língua; Zona III – Distrito de Portalegre. Cultura, in Bibliografia Língua e História na Fronteira Norte-Sul (updated edition).
Carrilho, E. (2007). Beyond Subject Doubling: expletive constructions in European Portuguese dialects. In Dialect Syntax Archive. Amsterdam: Edisyn Project.
Carrilho, E., Mota, M. A., & Saramago, J. (2006). Variação Regional e Social. In Mostra de Linguística. A Linguística em Portugal: estado da arte, projectos e produtos. S. Frota and M. Colaço. Lisboa: APL.
Carrilho, E. (2003). Ainda a unidade e diversidade da língua portuguesa : a sintaxe". In Razões e Emoção. Miscelânea de Estudos em Homenagem a Maria Helena Mira Mateus. Vol. 2 (Vol. 2, pp. 19-41). I. Castro & I. Duarte. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda.
Carrilho, E. (2003). Construções de expletivo visível em Português europeu (não-padrão). In Gramática e Léxico em Sincronia e Diacronia. Um contributo da Linguística portuguesa (pp. 29-38). A. Veiga. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.
Carrilho, E., & Lobo, M. (2001). Perce-Oreille. In Atlas Linguistique Roman (Vol. IIa, pp. 405-449). Commentaires. Roma: Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato.
Ferreira, M. B., Carrilho, E., Lobo, M., Saramago, J., & Segura, L. (1996). Capítulo 10. In (pp. 477-502). I. H. Faria, E. R. Pedro, I. Duarte & C. Gouveia. Lisboa: Caminho.
Carrilho, E., & Lobo, M. (1994). O Atlas Linguístico-Etnográfico de Portugal e da Galiza (ALEPG), in Bollettino dell Atlante Linguistico Italiano, III serie. In (pp. 143-148). Torino: Edizioni dell Orso.
Carrilho, E. (1993). Almocreves, in Colecção Vicente. In . Lisboa: Quimera.
Carrilho, E. (1993). Glória, in Colecção Vicente. In . Lisboa: Quimera.
Carrilho, E. (1990). Romagem, in Colecção Vicente. In . Lisboa: Quimera.
Pratas, F. (2009). Language in Society, in An Introduction to Language. In . Fromkin, R. Rodman & N. Hyams. Boston: Wadsworth.
Costa, J., Lobo, M., & Pratas, F. (2013). Produção de clíticos por crianças bilingues e monolingues. In Textos Selecionados do XVIII Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. Lisboa: APL.
Pratas, F. (2012). Estados perfeitos em Caboverdiano. In Textos Selecionados do XVII Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. Lisboa: APL.
Pratas, F. (2011). ‘Acreditar’ não é ‘saber’: mais sobre estativos em caboverdiano, in Textos Seleccionados do XVI Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 521-533). Costa, I. Falé & P. Barbosa. Lisboa: Colibri.
Pratas, F., & Hyams, N. (2010). Introdution to the Acquisition of Finiteness in Capeverdean, in Language Acquisition and Development - Proceedings of GALA 2009, ed. In (pp. 378-390). Costa, A. Castro, M. Lobo & F. Pratas. Cambridge: Cambridge Scholars Press.
Pratas, F. (2010). Eventos e subeventos em Caboverdiano, in Textos Seleccionados do XXV Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 661-679). Brito, F. Silva, J. Veloso & A. Fiéis. Lisbon: Colibri.
Pratas, F. (2009). Aquisição da estrutura funcional em caboverdiano, in Textos Seleccionados do XXIV Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 367-381). Fiéis & M. A. Coutinho. Lisbon: Colibri.
Costa, J., & Pratas, F. (2008). Licenciar pro não significa ser uma língua pro-drop, evidência do caboverdiano, in Textos Seleccionados do XXIII Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 157-16). Frota & A. L. Santos. Lisbon: Colibri.
Fiéis, M. A., & Pratas, F. (2007). Reflexivity in Capeverdean: predicate properties and sentence structure, in Synchronic and Diachronic Perspectives on Contact Languages. In (pp. 117-128). M. Huber & V. Velupillai. Amsterdam / Philadelphia: John Benjamins.
Fiéis, A., & Pratas, F. (2006). Construções de duplo objeto não derivam de ditransitivas com preposição: evidência do caboverdiano, in Textos Seleccionados do XXI Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. In (pp. 387-396). Oliveira & J. Barbosa. Lisbon: Colibri.
Castro, A., & Pratas, F. (2006). Capeverdean DP-internal number agreement, additional arguments for a Distributed Morphology approach, in Studies on Agreement. In (pp. 11-24). Costa & C. F. Silva. Amsterdam / Philadelphia: John Benjamins.
Leitão, A. (2012). Por obra do Espírito Santo: jesuítas de Évora entre os gentios do Brasil, in Universidade de Évora (1559-2009) : 450 anos de modernidade educativa. In (S. Pereira and F. L. Vaz. Lisboa: Chiado, pp. 241-258). .
Leitão, A., Delgado, C., & Tavares, C. (2009). Transferência da Corte: abordagens nos manuais escolares de Portugal e Brasil. In FGV (A Escrita da História Escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro, pp. 309-328). .